CURRÍCULO

Margarida Carvalho


Cinema e Televisão

2017

  • Odisseia dos Pássaros, curta metragem de Fernando Cavaleiro

2016

  • A Única Mulher, TVI

2014

  • Deus Sabe, curta metragem de Ricardo Marques

2013

  • Chantagem, curta metragem de Pedro Melo Rocha e Ana Luís
  • De onde os pássaros vêem a cidade, curta metragem de André Tentugal

2012

  • Pecado Fatal, longa metragem de Luís Diogo
  • Prémio de Melhor Curta-Metragem no Festival de Cinema Quinta Praia, Noite Gélida em Castelo Branco de Luís Diogo
  • Ela por Ela, TVI

2011

  • Noite Fria em Castelo Branco, curta metragem de Luís Diogo
  • Noite Gélida em Castelo Branco, curta metragem de Luís Diogo
  • Catharsis, de André Martins – Prémios de melhor curta, melhor realização e acting no 48h Filme Project
  • Um Poema Por Semana – RTP

2010

  • Prémio Autores RTP/SPA – Melhor Actriz de Cinema 2009, com o filme Veneno Cura de Raquel Freire
  • Nomeada para os Globos de Ouro, na categoria de melhor actriz de cinema, com o mesmo filme
  • Quem é o pai do menino Jesus?, de José Alberto Pinheiro, RTP – Contos de Natal

2009

  • O Cônsul de Bordéus, longa-metragem de Francisco Manso
  • Desta Água, curta metragem de Luís Diogo

2008

  • Participação na novela Feitiço de Amor (TVI)

2007

  • As Coisas que Encontrámos no Sótão, curta metragem de Eduardo Morais

2006

  • Veneno Cura, longa-metragem de Raquel Freire
  • Glória, curta-metragem de Eduardo Morais
  • Inércia, curta-metragem com criação colectiva para Fast Ford Film Festival

2005

  • Dia Mau, curta-metragem de Eduardo Morais
  • Paraisos Urbanos, curta metragem de Sergio Brás d’Almeida
  • Tebas, longa-metragem de Rodrigo Areias

2004

  • Sedna, curta-metragem de Márcio Laranjeira

2003

  • Hypocrates, curta-metragem de Joana Vieira da Costa

Teatro

2017

  • Veraneantes, encenação Nuno Cardoso

2016

  • Cordel, encenação José Carretas
  • Dormir é um espectáculo, direcção Margarida Carvalho e João Melo
  • Onde o Frio se Demora, encenação Luísa Pinto
  • Felizmente Há Luar!, no TEP, encenação de António Júlio
  • Poesia à Solta, Rivoli Teatro

2015

  • Felizmente Há Luar!, no TEP, encenação de António Júlio
  • Nacional material, Paisagem com Argonautas, uma co-criação com direcção artística Alfredo Martins, apresentações no Rio e São Paulo
  • Efe, encenação de José Carretas
  • Recriação Histórica de Baião e Arouca
  • Faça o Favor de Entrar, uma co-criação

2014

  • Felizmente Há Luar!, no TEP, encenação de António Júlio
  • A Tatuagem, encenação de José Carretas
  • Recriação Histórica de Arouca

2013

  • Felizmente Há Luar!, no TEP, encenação de António Júlio
  • Doroteia, Serafim e Outras Histórias Assim – Direcção Artística

2012

  • O Olhar Português, texto e encenação José Carretas
  • Do Discurso Amoroso Fragmento 2, encenação Tiago Correia
  • O Amor é um Franco-Atirador, apresentado no CAAA em Guimarães, encenação Manuel Tur
  • Sem Pés Nem Cabeça, espectáculo infantil – Direcção Artística

2011

  • Nacional material, Paisagem com Argonautas, uma co-criação com direcção artística Alfredo Martins; Emergentes do TNDM II

2010

  • Texto a Meia Distância, Quintas de Leitura no Teatro Campo Alegre
  • Isaquetamente, Quintas de Leitura no Teatro Campo Alegre
  • Pedro e Inês, texto e encenação de José Carretas

2009

  • A História de uma Estória, texto e encenação de José Geraldo
  • NÓSOUTRXS, de Raquel Freire e Marta Mateus para o festival Temp d’images no Teatro São Luiz
  • Granada de Miguel Cabral, na Fundação José Rodrigues
  • Assistente de Encenação no espectáculo (A) Tentados, de Martin Crimp – encenação João Melo. Para o grupo Máscara Solta, da Faculdade de Letras do Porto

2008

  • A Doença de Machado Joseph de José Carretas
  • Desafinado de José Carretas
  • Carnaval na Invicta de José Carretas e Amélia Lopes, Co-Produção Porto Lazer – Empresa Municipal e Panmixia Associação Cultural.

2007

  • A Um Dia do Paraíso de José Carretas, Co-Produção Teatro Nacional São João e Panmixia Associação Cultural
  • Carnaval na Invicta de José Carretas e Amélia Lopes, Co-Produção Porto Lazer – Empresa Municipal e Panmixia Associação Cultural.
  • Férias Grandes com Salazar de Manuel Martinez Mediero, encenação de José Carretas, Co-Produção Teatro Nacional D. Maria II/Governo da Extremadura/Teatro das Beiras
  • Recriação Histórica de Arouca, texto e direcção artística de José Carretas, Co-Produção Câmara Municipal de Arouca e Panmixia Associação Cultural
  • Ai que Medo de José Carretas, Co-Produção Panmixia Associação Cultural/Teatro do Campo Alegre – Serviço Educativo
  • Performance, apresentada na Velha-a-Branca (Braga), a convite da mesma, uma construção colectiva entre Ana Margarida Carvalho e Maria Miranda

2006

  • Recriação Histórica de Arouca, texto e direcção artística de José Carretas, Co-Produção Câmara Municipal de Arouca e Panmixia Associação Cultural
  • Selva Urbana, Performance inserida no Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP), dirigida por Marina Rocha

2005

  • Jogas? de José Carretas, Produção Panmixia Associação Cultural
  • Os Canhões de Nabarone, texto de José Carretas e encenação do mesmo e de Fernando Moreira, produzido pela Panmixia
  • 1.Parto, encenação e texto de João Garcia Miguel, a partir de August Strindberg

2004

  • Crónicas de Eduardo De Fillippo, com encenação de José Carretas, pelo Teatro das Beiras
  • O Erro Humano de José Carretas, texto e encenação de José Carretas
  • Cara de Fogo de Marius Von Mayenburg, encenação de José Eduardo Silva

2003

  • Estado de Vigília, performance no concerto da banda O Projecto é Grave, criação colectiva, Teatro Helena Sá e Costa
  • O Sótão, texto e encenação de John Britton
  • Plastia, criação colectiva
  • Titus Andronicus de William Shakespeare, encenação de Lee Beagley

2002

  • Participação no espectáculo XXX pelos Fura del Baus, Coliseu do Porto
  • A Fuga de Wang-Fô de Marguerite Yourcenar, encenação de Cláudia Marisa
  • Performance sobre arte povera, inserida no programa Intercâmbios da Fundação de Serralves com direcção de Denis Bernard
  • Nunca Nada de Ninguém de Luísa Costa Gomes, encenação de Pablo Rodriguez

2001

  • O Ouriço Caixeiro e a Libélula Patinadora ou o Amor Espacial, peça infantil, produzida pelo Aquilo Teatro, da Guarda, com encenação de Américo Rodrigues
  • O Futuro Está nos Ovos, produzido pelo Aquilo Teatro, com encenação de Américo Rodrigues

2000

  • A Tremenda Importância do Kazoo…, produzido pelo Aquilo Teatro
  • Até o Anjo é da Guarda, produzido pelo Aquilo Teatro, com encenação de Américo Rodrigues
  • Guarda Milénio, produzido pelo Aquilo Teatro e Única.

1999

  • A Ira, pelo Sindicato de Poesia de Braga, dirigido por Sandra Faleiro
  • Luxúria, pelo Sindicato de Poesia de Braga, dirigido por Almeno Gonçalves
  • Quem és tu? dirigido por José Ananias, apresentado em Braga no Teatro Circo

Seminários/Workshops

  • Direcção de Actores com Tiago Rodrigues (2006 e 2005), Fernando Mora
    Ramos (2005)
  • Interpretação com: Rogério de Carvalho (2005), António Durães e Polina Klomovitsaya (2004), Carlos Pessoa (2002)
  • Vocabulário da companhia Ultima Vez com Iñaki Azpillaga (2005)
  • Contacto Improvisação com Kurt Kögel (2005)
  • Frente à Câmara com Raquel Freire (2005)
  • Dramaturgia com Abel Neves (2004)
  • Voz/Texto com João Henriques (2003)
  • Movimento com António Carallo (2003)
  • Contador de Histórias com Cândido Pazó (2003)
  • Tango com Maria Solero (2003)
  • Danças Antigas com Catarina Costa e Silva (2003)
  • Teatro Físico com André Braga (2002)
  • Clown com Nikolaus Holz (2002)
  • Acrobacia por Joana Carvalho (2002)
Anúncios
%d bloggers like this: